30.1.09

Raiva

a raiva é tão grande que faz as pontas dos meus dedos formigarem ao ritmo dos meus soluços; até que ponto mais vai ter que ser assim?

Porque tem que ser assim é o que eu não entendo. Me doi e sufoca e arde dentro de mim e eu quero ou tenho que gritar até ficar vazia. mais vazia.

a falta de causa me corroi, me esmaga por dentro como amor perdido. Dói.
eu quero chorar e gritar para o mundo que eu não sou assim, que eu não sou criança e que eu quero sair daqui o mais rapido possivel ou eu explodo junto com tudo a minha volta.

nçao da pra respirar, e me sinto tão impotente. é ditadura. Raiva maior e não melhor me cega e eu não sei mais o que falar ou o que dizer mas só sei que esta tudo junto e as palavras espirram para fora. Eu não aguento mais, tenho que fugir dessa jaula antes que o zoologico feche.

tem suor e lágrimas no chão, mas a raiva ainda esta dentro de mim.
sai daqui ou eu atiro.

2 comentários:

Marina disse...

uau cami... você escreve muito bem! beijos, dodinha

Clara disse...

atira! atira!!